Modalidades de Internação

Internação voluntária

A internação voluntaria é recomendada aos pacientes que ainda tem condições de avaliar os prejuízos causados por sua doença, sendo pelo uso de substâncias psicoativas ou depressão, e percebem a necessidade de um tratamento direcionado as suas necessidades e dificuldades.

Internação involuntária

É importante ressaltar que a internação involuntária para dependentes químicos é um procedimento legal. Esta modalidade é recomendada para os casos em que o dependente não percebe os prejuízos causados pelas substancias psicoativas, tendendo valorizar aspectos positivos de consumo, colocando em risco a si, a sua família e ou a terceiros, não aceitando o tratamento.

Essa modalidade de tratamento tem sua principal característica, proteger o dependente químico em local terapêutico adequado com a finalidade de propiciar a desintoxicação, conscientização dos malefícios do uso e abuso das drogas, através de técnicas motivacionais eficazes.

Internação compulsória

Nesse caso não é necessária a autorização familiar. A internação compulsória é sempre determinada pelo juiz competente, depois de pedido formal, feito por um médico, atestando que a pessoa não tem domínio sobre a própria condição psicológica e física. O juiz levará em conta o laudo médico especializado, as condições de segurança do estabelecimento, quanto à salvaguarda do paciente, dos demais internados e funcionários.

Planos de Saúde

AMS

APAS - Santos

Cassi

Gama Saúde

GEAP

Interclínicas

Trasmontano

Unafisco

Vitallis

Notícias

Clínica Oliveiras - Unidade Masculina

Clínica Oliveiras - Unidade Feminina

Clínica Oliveiras - Unidade Masculina

Clínica Oliveiras - Unidade Feminina

Fale com a gente!
Atendimento Whatsapp